sábado, setembro 24, 2005

Balada duma escada a descer

Olá,
Eu sou uma escada

Dantes subiam por mim acima
Como se não fosse nada
Agora com o ascensor
Só me usam por favor

Sinto-me sozinha
Já não tenho o valor que tinha…
Só quando falta a electricidade
Usam a sua motricidade

Acarinhando-me com as suas solas
Daqui debaixo até lhes vejo
As meias

Podem-me pisar
Mas não me podem negar

Sou triste como uma escada
Num prédio com elevador…




A emoção singular trazida até vós por:
Parvo Na Cadeira



Esse cantinho especial

Ultimamente tenho reparado que muita gente se queixa que estou sempre metido na casa de banho, ou que passo lá tempo demais. É gente no IRC a queixar-se que estive ausente tempo demais para uma ida à casa de banho, é a minha mãe que diz que qualquer dia caio pela sanita abaixo (eu por acaso prefiro o termo pia, mas é um bocado pornográfico demais para vocês leitores que não estão habituados a palavrões…).

1º - Quero deixar este ponto bem assente, quando houve um homenzinho há não sei quanto tempo atrás que inventou pela primeira vez as WC (abençoado seja), ele não disse que estas coisas tinham limite de tempo.

2º - Era só mesmo aquilo que queria frisar, portanto vou deixar estas mariquices dos pontos e passar para o resto do que vos queria relatar…

OK, admito que em casas de banho públicas se imponha uma certa restrição de tempo, para o pessoal não andar aí a aliviar-se pelos cantos… (voltarei a este tema do “aliviar-se pelos cantos” mais abaixo)

Pensem bem, a casa de banho é uma espécie de santuário da era moderna, um verdadeiro terreno sagrado! (ou defecado…) Ninguém nos chateia lá, podemos estar a pensar na vida, a ler o jornal, livros da Margarida Rebelo Pinto… isto tendo em conta que despejamos o autoclismo (sim, escreve-se autoclismo e não autocolismo) frequentemente senão o mais provável é morrermos por intoxicação de gases. E de preferência ao despejarem o autoclismo mandem para lá o livro da Margarida Rebelo Pinto (depois de terem gasto as folhas para o que elas servem… ecologia acima de tudo!)

As casas de banho de hoje em dia já não servem só para aliviarmos as nossas necessidades básicas (pois é, estamos mesmo a chegar à parte interessante, eh he). São autênticos retiros para aliviar o stress diário.

Mas se as casas de banho no nosso lar são aquele cantinho de conforto onde nos sentimos acarinhados como pequenos bebés no seu berço, o que dizer das casas de banho públicas?

Bem, servem para o que servem, porque aí raramente se está à vontade, hoje em dia nunca se sabe que tipo de gente nos pode aparecer pela casa de banho adentro. Estamos nós muito bem no urinol e vem um maçarico qualquer espreitar as nossas ferramentas de trabalho…

Se bem que dão jeito para várias coisas que também aliviam o stress, e agora culmino com uma petição. Tempo demais vivemos nós num mundo separado pela falsa moralidade e pelos lobbies políticos. Por isso e defendendo a igualdade entre sexos exijo que a partir de hoje se construam mais WCs unissexo. É o passo evolutivo óbvio. Dantes os pretos também tinham WCs aparte das dos brancos, isto é inadmissível e intolerância pura, por isso acho que o mesmo deve ser feito em relação aos sexos.

Acabem-se as dificuldades para perceber os desenhos imperceptíveis das casas de banho públicas para não nos enganarmos na WC e acabem-se as dificuldades para taras sexuais que não refiro aqui, pois apesar de serem menos privadas que as casas de banho em casa, oferecem bastante privacidade até…

Aqui surjo com novo manifesto, acabem-se também com a falta de paredes que vão até ao tecto nas casas de banho e acabem-se com as portas que não vão até ao chão! Queremos privacidade quando estamos a aliviar as necessidades básicas do corpo!

Privacidade, mas não intolerância, por isso deixemos as mulheres e homens deste mundo compartilhar as casas de banho em paz!




(Exemplo dum símbolo dum WC unissexual, vejam lá se isto não facilita a escolha da WC para onde queremos ir?)



Lutando contra a opressão desde a puberdade,
O Parvo Na WC… oops, Cadeira!

P.S.: antes o pessoal “aliviar-se” nas casas de banho que nos cantos, que é uma pouca-vergonha.

P.S.P.S.: eu adoro o meu uso bem cronometrado de aspas, leva o meu nível de narcisismo a valores só vistos no WC.

quarta-feira, setembro 21, 2005

Googla-mos

Minha boa gente, andei a ver as estatísticas deste meu humilde blog (para não chamar mesmo de “pobremente visitado blog”). É certo que ver estatísticas dum site nosso e informações adicionais é algo um pouco narcisista, quase uma forma electrónica de masturbação (quem não sabe o significado desta palavra recomendo que leia isto: Wikipedia: masturbação). Vangloriamo-nos mais um pouco a cada visitante que vemos adicionado às estatísticas totais, almejamos que por engano alguém procure algo num motor de busca e acidentalmente venha parar à nossa página…

MAS!!!!!!

Estou surpreso em absoluto com o que me deparei, reparem nestas estatísticas que seguem os vários motores de busca espalhados por essa rede mundial enorme (também apelidada por várias associações de pais como: “Antro de pedófilos e violadores, que não existiam antes dessa invenção do demo que é a Internet!”) e referem as palavras-chave (e antes que o leitor pergunte: não, palavras-chave não abrem portas-fechadura) pelas quais gente de todo o mundo encontra este meu cantinho de barbaridades.

Ora vamos começar pelo primeiro:

15 de Setembro, Quinta-feira, 00h09m17s, motor de busca Google:

Esta primeira entrada referia a palavra-chave “metalporto”. Ou seja um marmanjo qualquer escreveu “metalporto” na caixinha do Google e tem a infelicidade de lhe aparecer o meu blog pela frente.

Não me surpreendeu, apesar de que quem descobriu o meu blog por aí deve ter ido parar ao manicómio, coitadito…

Nota: 4 Estrelas

15 de Setembro, Quinta-feira, 03h59m53s, motor de busca Google (outra vez…):

Palavra-chave: “taradice”

Ìndice de surpresa: nenhum. Excepto que me ponho a pensar o que quereria alguém fazer às 3 horas e tal da manhã fazer para procurar num motor de busca a palavra taradice…

Nota: 4 Estrelas

15 de Setembro, Quinta-feira, 15h57m58s, motor de busca MSN Search:

Palavra Chave: “gajas nuas” (ok, está a ficar melhorzito.. eh he)

Ìndice de surpresa: Há quem use o MSN Search? Estou estupefacto! (Ah e já agora, quem me dera, mas aqui não temos gajas nuas. Por isso o magala que procurou isso e veio aqui ter não teve bem o que queria, mas também às 4 da tarde não é hora para andar a masturbar-se (Wikipedia: masturbação , mais uma vez aconselho a leitura deste mui interessante artigo.)

Nota: 5 Estrelas

(Quem não gosta duma boa gaja nua?)

Passando algumas procuras à frente, as quais continham palavras-chave do tipo: “gajos feios” (apesar de terem razão, foram ter ao blog dum gajo feio p’ra caraças, podiam ter sido mais simpáticos e não clicar no link…), “ilustração palhaços”, “frases sinistras” e “francesinhas” (quem escreveu esta podia oferecer-me uma já agora…), a palavra-chave que mais me atormentou:

20 de Setembro, Quinta-feira, 19h11m35s, motor de busca MSN Search:

Palavra Chave: "fotos de nus masculino” (…)

Deixem-me clarificar algo… AQUI NÃO EXISTEM FOTOS DE NÚS MASCULINOS (nem de femininos, mas disso até tenho pena, assim como o tipo da 3ª procura…), simplesmente esqueçam procurá-las aqui.

Espero simplesmente que a procura tenha sido feita por alguém do sexo feminino (a quem eu de qualquer das maneiras recomendo ao invés a procura: “gajas nuas”), porque nem quero saber que tipo de gente andou a passar pelo meu blog… (talvez tenha sido até alguém célebre agora que estou a ver o leque de possibilidades, não descartem as iniciais JCB e uma visita à minha entrada de blog: O Factor F: Vícios, a resposta pode estar aí.)

Nota: 1 Estrela

(Vocês enojam-me leitores abichanados, mas leiam o blog na mesma…)

Já agora, ainda deste ùltima procura:

Ìndice de surpresa:Há quem use o MSN Search? Estou estupefacto! (Google? Hello? Acordem para a vida…)

Looking for something?

Meet Google.

Looking for sex?

Meet Jack, your left hand…

domingo, setembro 11, 2005

Palhaços Pá!

É impressão minha ou as gentes da minha geração para a frente já não acha os palhaços (aqueles do circo, não é daqueles que andam para aí conduzir ou mesmo daqueles em empregos relacionados a atendimento público) aquelas pessoas divertidas e que nos fazem rir?

Lembro-me de quando era pequeno, ia ao circo (mais por obrigação do que por vontade, porque vá-se lá saber, eu preferiria ficar em casa a ver televisão ou a brincar com o He-man do que ir para dentro dum recinto malcheiroso ver gente cheia de pulgas), a minha mãe gritava alegremente: “Olha os palhaços! Tu adoras palhaços!”. A verdade era deveras mais aterradora, eu tinha fobia de palhaços… Não deixava de pensar quando um daqueles humanóides me escolheria a mim para ir para um círculo cheio de areia fazer macacadas ridículas que destruíram toda a minha inexistente vida social.

É só de mim… ou os palhaços são mesmo criaturas grotescas e aterradoras com tendências sadomasoquistas? Aquelas pinturas, causadoras de tanto caso de epilepsia infantil… Toda aquela violência para com os outros membros da sua espécie. Tudo para obter uns risos duma plateia que vibra com o terrível e horrendo.

Onde quero eu chegar com isto? Bela pergunta, agora vou ter de inventar qualquer coisa…. Hmm… er… ok.

Tudo isto, para dizer que os nossos antepassados eram uns bárbaros, que gostavam de violência gratuita e matavam animais para comer. Hoje em dia o único bicho que se mata é o que está no estômago (há outro que também se pode matar… mas deixo isso ao critério da vossa imaginação que isto é um blog sério) e o mais parecido com violência é o wrestling na tv por cabo (Se bem que o wrestling não tem tanto de violência como tem de conteúdo homossexualmente explícito… toda aquela gente vestida em lycra ou semi-vestida tem muito que se lhe diga).

Clowns man… they freak me out.

(Para quem não sabe inglês, garanto que não estou aqui a mandar ninguém para nenhum lado.)

domingo, setembro 04, 2005

Leitinho de Sabão

Vocês são daqueles que antes de comer lavam as mãos? Eu sei que sou, porque nunca sei onde andei com as mãos, então por via das dúvidas é sempre melhor ir exterminar os germes que habitam nas minhas mãos, antes de pegar em algo que vá entrar no meu sistema digestivo.

O assunto deste artigo ocorreu-me quando após entrar num café e ter usado e abusado da sua WC, fui lavar as mãos. Abri a torneira com esforço, porque as torneiras dos cafés parecem ter um sistema de segurança contra crianças para não serem abertas (ou isso ou andam sempre maradas, nunca percebi muito bem), molhei um pouco as mãos para tocar nesse liquido que tanta falta anda a fazer ao nosso país (mais alguém acha que o S. Pedro anda com pedra nos rins?) e quando ia a pressionar o botãozinho que dá acesso a uma limitada quantidade de sabão líquido. Parei!

“Branco?” - pensei eu… “Estranha cor para sabão líquido…”

Não é que eu nunca tivesse lavado as mãos com sabão líquido, e também não se dá o caso de nunca ter lavado as mãos com sabão líquido branco (o que hoje em dia muito me arrependo, mas pelo menos nunca mais roí as unhas e agora como com os pés…), mas naquele momento algo surgiu na minha cabeça.

Ninguém sabe muito bem o que é que as pessoas põem naqueles recipientes, pode ser sabão perfeitamente normal (ou sabão anormal, não tenho nada contra deficientes) ou não… E foi a segunda hipótese que se apoderou da minha mente e me fez tremer de terror.

Rapidamente retirei a minha mão debaixo do recipiente, lavei as mãos só com água purinha do cano e sequei-as com os papéizinhos que lá se encontravam para o efeito. A minha mente não parava de pensar em toda uma conspiração mundial.

Pensem em todas as casas de banho do mundo, quais são as cores de sabão que já alguma vez viram? Têm o rosa-igual-à-caixa-de-detergente-da-loja-do-chinês, o verde-ranho-ranhoso-com-extra-muco, e o branco-… Se bem que o verde também acaba por ser uma cor assustadora quando pensamos nisso, o branco mete uma hipótese muito mais assustadora. Pensem em milhões de donos de café e restaurante, e milhões de homens da limpeza. Imaginem-nos em suas casas sentados no sofá a ver o jogo de futebol:

“Querida, traz mais uma cerveja! Ah porra, amanhã tenho de pôr sabão nas casas de banho! Esquece, não tragas a cerveja, traz-me um garrafão de 5 litros e fecha a porta! Deixa cá ver o que é que está a dar no Sexy Hot…” (eu sei que já acabou… mas escrever “Sexy Hot” tem muito mais piada que escrever “Canal Vénus”, que parece que estou a fazer um anúncio para a Gillete.)

“Schlop, Schlop, Schlop…”

Nunca mais vou lavar as mãos com sabão líquido fora de casa, não apoio tarados que se excitam com gente a lavar as mãos...

No próximo artigo: Discussão sobre os vários significados da pergunta: “Vocês são daqueles que antes de comer lavam as mãos?”


Prova 1:


(foto tirada numa casa de banho dum café português, fotógrafo: eu)



You can’t handle the truth…