sábado, julho 29, 2006

batatinha smile (ou o caminho para a felicidade interna)

Parece que ainda me lembro daquele dia.. parece que foi na semana passada... (Epá se calhar até foi e foi no meet do aniversário do sci-freaks )

Fui à Pizza Hut pedir duas fatias de pizza gordurosa e servido com um sorriso, se bem que o sorriso era da galhofa entre os empregados e havia bastante desprezo para a minha direcção, e aqui nem quero saber porque raio estavam a sorrir ( "Ah e aquela pizza que acábamos de servir que caiu no chão chei o de baratas!! ah ah ah!" é uma hipótese...), mas eis que no meio de tanta indifrença surge uma pergunta calorosa: "Deseja batatas por mais não sei quantos cêntimos?"


É óbvio que batatas fritas, esse tumor da sociedade, destruidor de dietas, é sempre benvindo a qualquer ementa (eu até comia cozido à portuguesa se tivesse batatas fritas!).
Ora, qual não é a minha surpresa quando reparo que as "batatas", não eram batatas em palito, mas BATATAS SMILE!

Exemplo de batata smile (neste caso acidentada e com os queixos partidos)

PORQUÊ? PORQUE ME ESTAVAM A OFERECER BATATAS RECHEADAS DE ALEGRIA? O mero pensamento de arrancar à dentada um bocado daquele feliz ser causava-me arrepios, mas agora era tarde demais, já tinha pago o menú!

Foi então que a minha namorada perguntou: "Já alguma vez provaste isso?"

O pior avizinhava-se...

Dirigimo-nos à mesa onde íamos degustar a nossa refeição cheia de massa, queijo e ketchup (não esquecendo a gordura que escorria da dita massa, epá, eu não sou pago pela telepizza, mas as pizzas deles são marginalmente melhores :s), começo a mordiscar a minha pizza, degluti-la, talvez quiçá os meus processos digestivos tivessem começado a sua actuação...

Quando eis senão, corrompido pela duvida de comer as alegres batatinhas e assim acabar a sua mui alegre mas curta vida reparo que algo se passa dentro do seu saco.

Agora já percebemos porque estavam alegres...

Então não é que as vacas das batatas estavam encetadas na mais pura das orgias? (E aqui "mais pura" ganha um significado muito pouco puro ou angelical...)

Afinal a felicidade não era por um prazer inato de servir quem as comia, de fazer com que o seu tracto digestivo regojizasse com o acto de comer estes "simpáticos" tubérculos. Aquilo era batatada de meia-noite e não estamos a falar de porrada!

As mais atrevidas até saíram do saco:

Sem comentários...

Ora perante esta Sodoma e Gomorra do mundo vegetal, não senti remorsos nenhuns em comer estes pecadores, tal Deus da roda alimentar impondo o respeito a todos os seus constituintes.

Quando era pequeno diziam-me para não brincar com a comida, mas quando a comida brinca com ela própria, a brincadeira cheira mal... (ou pelo menos a óleo retardado)

Conclusão: Foi um belo meet cheio de gente interessante. As batatas não prestavam...


Parvo Na Cadeira assina a sua despedida por ora!

sábado, julho 22, 2006

Licantropia e transformismo

Desde o início dos tempos que se ouvem histórias sobre humanos , pessoas normais que de noite se transformam em predadores terríveis que se alimentam de outros humanos.

Ora se no início dos tempos haviam lobisomens e vampiros, agora temos travestis e drag queens.


OK.. os lobisomens não saiam todas as noites... só nas de lua cheia (a não ser que fossem lobisomens do wolfgame ), mas eram seres animalescos, que nas iluminadas noites se deliciavam com a carne humana, e não só, que encontrassem.

Os vampiros, de mais classe (aparente pelo menos), não se transformavam, apenas saíam à noite pois não o podiam fazer de dia, correndo o risco de se evaporarem em fumo, o que não deve ser uma sensação equiparável, digamos, a um orgasmo por exemplo... talvez tenha mais parecenças com agonia pura e dado este facto, sempre fugiram da luz, para consumirem humanos normais, sempre usando a sua perspicácia para enganar as suas presas.


Ora bem... chegou a altura... a altura de fazer toda a analogia inerente ao próprio título deste artigo e portanto explorar situações cómicas que daí possam advir.

OK... travestis não saem só à noite, é vê-los no Carnaval por toda a parte, são seres animalescos, na medida em que possuem características femininas, roupa e maquilhagem, mas ao mesmo tempo traços vincados (principalmente na área pélvica e por aí abaixo) da sua masculinidade. Sendo um exemplo a falta de aplicação de creme depilatório nas perninhas.

Já os(as?) drag queens, só saem de noite, e são reconhecíveis pelas suas parecenças (não não vou dizer com mulheres) com o José Castelo Branco (acabei por dizer... RAIOS!). Vestem-se com exuberantes vestidos, plumas, coroas e toda uma parafernália femininina normalmente só vista em cabarets.

Mas os(as?) drag queens são em certa medida muito parecidos(as?) com os vampiros. Porquê? Porque também seguem o caminho do engano e da mentira para os seus propósitos.

Ora vejamos:
Pessoa normal: "És gay."
Drag Queen: "Sou uma drag queen!"
P.N.: "Foda-se... és gay!"
D.G.: "Cada coisa no seu sítio... eu não sou homossexual, é apenas uma brincadeira, é giro. Nada mais, eu tenho filhos e tudo!"
P.N.: "És um paneleiro... :o e ainda por cima comes a tua mulher que é toda boa só para disfarçar, roubando a um heterossexual esse prazer!"
D.G.: "Epá.. não admito que me fales nesses termos! Dá cá um beijinho e vamos fazer as pazes."

Neste momento o vampiro (drag queen) desferiria a sua mordidela (beijoquinha) e pronto... mais uma vítima feita.

Com tudo isto podemos então ter em conta que por muito que a humanidade mude.. sempre haverão transformistas prontos para predar carninha fresca. Foram avisados.

Assinado:
Tiago Nunes, o Parvo Na Cadeira
(Eu era normal, mas depois fui mordido por um parvo vírus radioactivo)

P.S.: Não tenho nada contra gays, mas caralhos me fodam, não posso com paneleiros.. (OK... talvez não tenha sido a melhor frase..)

terça-feira, julho 18, 2006

Fome de cão

Hoje era para criar mais um desses grandes monumentos lusos.

Estou-me a referir claro a um post aqui n'O Factor F e não a um projecto de governo absolutamente idiota que vai custar milhões quando simples melhoramentos ao que já existe seriam mais económicos. Muitos estarão a pensar: "Ele está a falar no aeroporto da Ota", ora sinceramente... Já viram algum projecto de um qualquer governo português que não fosse absolutamente megalómano, custasse 5 vezes a previsão inicial, demorasse mais 2 anos do que o previsto e que não ficasse obsoleto logo a meio do seu período inicial de construção?

Mas hoje meus amigos, não escrevo aqui para vos falar de política nacional, mas sim de política interna deste blog.

Infelizmente comi o assunto do meu post e agora vou ter que esperar uma ida ao Modelo (o supermercado e não um daqueles macacos sem pêlos todos abichanados que se passeiam nas passereles internacionais ao lado de esqueletos com fome auto-induzida).

É triste, mas quando o assunto é comestível, a barriga fala mais alto que a razão.

Psicologicamente desolado
me encontro.

Assinado: Parvo na Cadeira
(aceitam-se doações para cadeira nova, dado que esta já não é muito confortável, o parvo por sua vez está mais parvo que nunca )

P.S.: Hoje não há post scriptum volte amanhã (que não haverá nada mesmo e assim poderá sentir o silêncio e a paz e desfrutar dum momento zen puro).

P.S(elevado a 2): Eu juro que me parto a rir com o que as pessoas põem nos motores de busca... e por sorte todos os tarados, freaks e inadaptados sociais vêem parar a este blog! link para quem se quer rir um bocado

sábado, julho 01, 2006

Retro-Rocker

Rapaz! se tens mais de 16 anos, uma queda para o guitarrismo e uma mega drive em casa, também tu podes ser um retro-rocker!!!



Não aconselho a experimentarem isto com uma XBOX, senão o mais provável é começarem a fazer uma guitarra e acabarem com uma bateria (o que também não era nada má ideia, sempre lhe podiam bater com um pau).

De repente comecei a olhar para a minha Playstation de um modo mais musical também... e ainda acabo por transformar o meu gameboy num reco-reco.

Aos que pensavam que eu tinha morrido: "daçe.. nem flores mandaram pró funeral!"